Cadernos de História e Filosofia da Ciência http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos <p>Os <em>Cadernos de História e Filosofia da Ciência</em> dirigem-se especialmente ao público interessado nas áreas de Epistemologia, Filosofia da Ciência, Teoria do Conhecimento e História das Ciências. Têm por objetivo central a publicação de artigos e notas originais de pesquisadores nacionais e estrangeiros, traduções de textos concernentes aos temas mais centrais da reflexão filosófica, metodológica e histórica sobre a ciência, e traduções comentadas de textos marcantes do desenrolar histórico dessa reflexão, bem como resenhas nas áreas do conhecimento em que os <em>Cadernos</em> atuam.</p> Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência (CLE) pt-BR Cadernos de História e Filosofia da Ciência EXISTEM CIÊNCIAS DE OBSERVAÇÃO? AS SOCIAIS SÃO METATEÓRICAS http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/743 <p>A partir de Francis Bacon os filósofos tenderam a atribuir papel crucial à observação na pesquisa científica. Depois da metade do século XX se intensificou o debate em torno do papel cumprido pela atividade observacional na ciência. A visão que encara o que se observa como ‘dados’ a serem simplesmente coletados foi profundamente questionada a ponto de se abrir caminho para a predominância da concepção oposta de que a observação está sempre impregnada de teoria. Este artigo pretende avaliar o impacto dessas discussões sobre a interação entre teoria e observação nas Ciências Sociais. Além disso, almeja mostrar que essas ciências lidam com tipos de objeto com peculiaridades ontológicas que requerem mais que o simples reconhecimento de que a observação é sempre ‘teoricamente impregnada’. Além disso, é também objetivo deste trabalho demonstrar que as principais críticas ao observacionalismo feitas por Popper et alii já se encontram na obra de Comte. No entanto, tais críticas ao observacionalismo são incompletas porque negligenciam um traço crucial de alguns tipos de fato social: o de se oferecerem pré-interpretados à observação. Defenderemos que a presença de ‘teoria’ em vários tipos de fato social gera problemas especiais com relação às formas de observá-los, reconstruí-los e explicá-los. Destacando as dificuldades especiais suscitadas pela observação de fatos da vida associativa que despontam pré-interpretados, este artigo se empenhará em demonstrar que não cabe caracterizar as Ciências Sociais nem como ciências de observação nem como teóricas e observacionais em virtude de possuírem natureza metateórica.</p> <p>Palavras-chave: observacionalismo, fatos pré-interpretados, metateoria, função manifesta, função latente.</p> Alberto Oliva ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 42 42 O QUE É CONSTRUTIVISMO? http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/744 <p>‘Construtivismo’ é um termo adotado por diversas abordagens filosóficas contemporâneas. Surgiu com a obra de Piaget, e desde então vem sendo apropriado por abordagens das mais diversas orientações ontológicas e epistemológicas. Este artigo analisa parte das mais significativas dessas com base em três problemas: o do realismo, o da possibilidade e o da fonte do conhecimento. São analisados o construtivismo piagetiano, o socioconstrutivismo, o construtivismo lógico, o construtivismo radical e o construtivismo social. O objetivo é oferecer uma melhor definição do termo, que faça jus a sua origem histórica e ao mesmo tempo ajude a esclarecer seu uso indiscriminado. Parte da confusão conceitual que cerca o termo é resolvida com a dissolução das falsas polaridades entre realismo e construtivismo e entre objetivismo e relativismo. Conclui-se que as posições analisadas alternam entre realismo e antirealismo e criticismo e ceticismo. Encontra na questão da fonte do conhecimento os denominadores comuns de todas as alegações de construtivismo: a rejeição ao objetivismo de matiz empirista e a adoção do sentido kantiano da metáfora da construção. Podemos definir positivamente construtivismo como a tese epistemológica que defende o papel ativo do sujeito na criação e modificação de suas representações do objeto do conhecimento.</p> <p>Palavras-chave: construtivismo, construtivismo social, construtivismo radical, Jean Piaget, objetivismo.<br><br></p> Gustavo Arja Castañon ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 34 34 PRAGMÁTICA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA: http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/745 <p>Este artigo apresenta alguns resultados preliminares da análise do comportamento científico utilizando cadeias de Markov de primeira ordem. Derivamos uma matriz de transição a partir das frequências apresentadas por um cientista ao publicar um artigo de um dado tipo seguido por um artigo de outro tipo. De modo a conduzir este estudo, primeiro determinamos tipos de artigos e então classificamos sequências (trajetórias) de artigos de acordo com tais tipos. Em seguida, utilizamos um programa de computador para derivar as matrizes de transição. Apesar da não-ergodicidade das cadeias de Markov resultantes, descobrimos que é altamente provável que artigos descrevendo resultados experimentais apareçam ao final da trajetória.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> pragmática da investigação científica, naturalismo, análise comportamental, comportamento científico, cadeias de Markov.</p> Luis Henrique de A. Dutra Cesar A. Mortari Ivan Ferreira da Cunha Jerzy A. Brzozowski ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 20 20 FILOSOFIA DA CIÊNCIA E METODOLOGIA ECONÔMICA http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/746 <p>O objeto desse artigo é a reconstrução de alguns debates travados no âmbito da filosofia da ciência, desde o positivismo lógico até o realismo crítico, passando pelos seus críticos mais referidos nesses debates, a saber, Popper, Kuhn e Lakatos. Essa discussão filosófica tem como objetivo indicar como ideias desenvolvidas no campo da filosofia da ciência se refletem no campo da metodologia econômica. A relevância do resgate desses debates filosóficos justifica-se pelo fato de que frequentemente algumas teorias econômicas são sustentadas com base em argumentos metodológicos, apesar de a metodologia ser considerada uma disciplina desnecessária pela grande maioria dos economistas do mainstream.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> filosofia da ciência, metodologia econômica, positivismo lógico, teóricos do crescimento do conhecimento, realismo crítico.</p> Carolina Miranda Cavalcante ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 38 38 TRADUÇÃO COMENTADA DOS TRÊS PRIMEIROS CAPÍTULOS DO TETRABIBLOS DE PTOLOMEU http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/747 <p>Apresenta-se uma tradução comentada dos três primeiros capítulos do livro I do Tetrabiblos, escrito no séc. II EC por Claudius Ptolomeu. Trata-se da primeira tradução para o português feita diretamente a partir de uma seleção de manuscritos gregos.</p> <p><strong>Palavras chave:</strong> Ptolomeu, Tetrabiblos, astrologia.</p> Marcus Reis Pinheiro Cristina de Amorim Machado ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 32 32 TRATADO MATEMÁTICO EM QUATRO LIVROS – TETRABIBLOS (Livro I, caps. 1-3) http://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/cadernos/article/view/748 <p>Tradução de Marcus Reis Pinheiro &amp; Cristina de Amorim Machado, versão sem comentários.</p> Marcus Reis Pinheiro Cristina de Amorim Machado ##submission.copyrightStatement## 2017-05-18 2017-05-18 1 2 12 12