Conceito em Hegel, Auto-Organização em Debrun e a Superação da Dicotomia Sujeito-Objeto na Abordagem Sistêmica

Versão para impressãoVersão para impressão

Em sua exposição enciclopédica da Filosofia, Hegel introduz o termo Conceito como designando um processo de diferenciação que possibilita a emergência de efetivos subsistentes por si e autônomos (Selbständiger Wirklichen) originais, contrapostos entre si, sendo que o termo Conceito remete tanto a algo real e efetivo quanto inteligível (uma das principais razões dessa denominação). Nesse sentido, o Conceito é uma unidade que, por um lado, possui características de auto-organização, segundo as definições de Debrun, na medida em que possibilita a emergência de efetivos originais subsistentes por si e autônomos, e, por outro lado, se mostra como base e fundamento dos processos cognitivos. Nesse sentido, o Conceito, como tal unidade, possibilita a superação da dicotomia sujeito-objeto na abordagem sistêmica, ou seja, da dicotomia entre o sistema tal como conhecido pelo sujeito e o sistema tal como ele é, real e efetivamente. O objetivo da exposição é, pois, discutir o Conceito, segundo Hegel, sua relação com a auto-organização, segundo Debrun, e a possibilidade de superação da dicotomia sujeito-objeto na abordagem sistêmica.

Autor(es): 
Prof. Dr. Ricardo Pereira Tassinari
Créditos: 
Grupo Interdisciplinar CLE Auto-Organização
Data: 
sexta-feira, Junho 12, 2015