RTV: Memória Cientifica entrevista filósofo do IFCH Arley Moreno

Versão para impressãoVersão para impressão
Pro. Dr. Arley Ramos Moreno

Arley Moreno, paulistano de Tatuapé, é filho de espanhol oriundo de Granada, que chegou ao Brasil, como grande parte dos imigrantes do início do século XX, em busca de alguma oportunidade. “Era uma família simples”, mas excepcional no hábito da leitura. Assim, durante toda infância assistiu, atento, aos discursos inflamados proferidos pelo pai nas reuniões da família. “Ele tinha muitos livros, era autodidata”.

Foi no palavrório desses debates que tomou contato com o ideário comunista, causando-lhe grande inclinação. A exemplo do pai, começa então a ler desde a mais tenra idade. Nesse contexto cresce o garoto que, em 1964, se divide entre o serviço militar e a graduação em Filosofia, no Centro Universitário Maria Antonia, nos edifícios históricos que abrigaram a antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.

Mais tarde segue para França, onde toma contato com a arte provençal e os cursos de Gilles-Gaston Granger. Assim foram os primeiros anos de formação do filósofo da linguagem Arley Moreno, um dos fundadores do Departamento de Filosofia na Unesp, em Marília, e que encontrou na Unicamp do final dos anos 80, o ambiente propício  para desenvolver o que chamou de ‘Pragmática Filosófica’. Confira aqui essa e outras histórias do professor do IFCH, na entrevista concedida ao sociólogo Marcelo Rocco, para a série Memória Científica, da RTV-Unicamp.