REEQUILIBRAÇÃO COGNITIVA E INSTABILIDADE TEÓRICA EM FREUD E PIAGET

Autores

  • TRISTAN TORRIANI Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Partindo de algumas passagens metapsicológicas de 1914 e 1915, propomos uma leitura piagetiana da interpretação de L.R. Monzani a respeito do pensamento freudiano. Sugerimos que os movimentos pendulares e espiralados possam ser entendidos enquanto aquilo que, no modelo piagetiano da equilibração, seriam processos assimilativos. A seguir, acompanhamos novos desenvolvimentos que enfatizam tanto a construção diádica da autorregulação individual quanto o caráter energético e social da afetividade. Explicamos então o modelo piagetiano de equilibração e sua aplicação ao problema da instabilidade teórica em Freud. Com a manutenção da primazia piagetiana das estruturas cognitivas, pode-se dar o devido reconhecimento à irracionalidade humana sem contudo negligenciar o papel central da racionalidade na própria afetividade, como é visível nas perversões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-05-29

Edição

Seção

Artigos