Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • O arquivo da submissão está em formato Word (.doc ou .docx).
  • A contribuição preenche os critérios de originalidade e relevância, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O manuscrito segue os requisitos descritos em Diretrizes para autores.
  • Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos, ensaios), as instruções que asseguram a avaliação pelos pares cega foram seguidas.

Diretrizes para Autores

Sobre a Submissão

I. A Kant e-Prints aceita para publicação artigos, ensaios, estudos críticos e resenhas, em línguas: portuguesa, italiana, inglesa, francesa, espanhola ou alemã, e traduções em língua portuguesa ou espanhola.

II. São aceitas contribuições de pesquisadores(as) vinculados(as) a Instituições de Ensino Superior que tenham titulação mínima de mestrado, egressos(as) com titulação mínima de doutorado, e pesquisadores(as) que estejam cursando Pós-graduação (stricto sensu).

III. As contribuições devem ser submetidas exclusivamente pelo sistema eletrônico da Kant e-Prints. Em caso de dificuldades o(a) autor(a) deverá entrar em contato com a Equipe editorial.

IV. A contribuição deve ser enviada sem qualquer tipo de identificação do(a) autor(a), assegurando a avaliação em regime duplo-cego. O(A) autor(a) deve evitar o uso da primeira pessoa em caso de referência a trabalhos pessoais. Os dados do autor – nome completo, correio eletrônico, telefone para contato, endereço postal, afiliação institucional – deverão constar apenas nas “etapas” de submissão.

V. Antes do envio aos pareceristas a Equipe editorial verificará a adequação da contribuição ao Foco e Escopo da revista e às normas determinadas em Diretrizes para Autores, reservando-se o direito de recusar os manuscritos que não se adequarem aos padrões editoriais da revista.

VI. Os manuscritos que se adequarem aos padrões editoriais da revista serão avaliados em regime duplo-cego. A avaliação será realizada por membros que compõem o Conselho científico, a Comissão editorial, ou especialistas na área convidados pelo editor, que podem recomendar sua aceitação total, aceitação parcial (condicionada a revisão), ou rejeição. Em todos os casos o autor será notificado pela Equipe editorial da Kant e-Prints dentro do prazo de 30 a 60 dias, aproximadamente.

  • Caso os pareceristas possuam posicionamentos divergentes quanto à aceitação ou rejeição do manuscrito, a decisão caberá ao editor, que poderá recorrer a um terceiro parecerista, caso julgue apropriado.
  • Em caso de aceitação parcial (no caso do parecerista ou do editor requerer modificações no manuscrito), o manuscrito será enviado para o(a) autor(a) para que possa realizar uma revisão. Após a revisão, o manuscrito passará por novo processo de avaliação.
  • Em caso de rejeição, o manuscrito não poderá ser submetido novamente para a revista, mesmo que tenha sofrido alterações no todo ou nas partes.

VII. Antes da publicação o manuscrito será enviado pela Equipe editorial por e-mail, para a etapa de “prova” por parte do(a) autor(a). A verificação de possíveis erros deve ser realizada e retornada pelo mesmo e-mail de prova que for enviado pela Equipe editorial, no prazo de até 15 dias.

VIII. Uma vez aceitos para publicação e passada a etapa de prova, os manuscritos não poderão ser revisados nem poderão sofrer qualquer tipo de alteração por parte dos(as) autores(as).

  • Os manuscritos aceitos para publicação comumente passam por um processo de revisão final (antes da publicação) por parte do Coordenador de edição ou Revisor técnico/linguístico, que poderá, eventualmente, implementar correções, de modo a sanar pequenas falhas ou omissões do(a) autor(a) na etapa de prova (no que diz respeito à correção gramatical/linguística e ao padrão, estilo e normas estipuladas em Diretrizes para Autores).

IX. Os(As) autores(as) se responsabilizam inteiramente pelas ideias, afirmações e opiniões expressas nos manuscritos.

X. Os(As) colaboradores(as) são responsáveis por obter permissão para publicar qualquer material do qual não tenham direitos de cópia e por assegurar que os devidos reconhecimentos estão incluídos no manuscrito.

XI. Caso a Equipe editorial da Kant e-Prints seja informada ou identifique qualquer atentado contra propriedade intelectual, tais como a insuficiência ou ausência de reconhecimento, inclusão de material de terceiros sem os devidos direitos de cópia, plágio ou a autoria do artigo seja contestada, a revista Kant e-Prints, comprovada a natureza do ato, reserva-se o direito de tomar as seguintes medidas (isoladamente ou em concomitância): publicar errata ou correção; notificar a instituição e/ou agência de fomento do pesquisador para que tome medidas cabíveis; excluir o manuscrito da edição publicada; banir o(a) autor(a) de publicações na revista; ficando reservado o direito da Editora da Kant e-Prints de abrir ação judicial contra o(a) autor(a) por quaisquer danos sofridos.

 

Normas para preparação e redação do manuscrito

1. Estilo

O texto deve ser formatado em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento de 1,5, alinhamento justificado; o fim de um parágrafo e o início de outro devem ser sinalizados por um “enter” e por um “tab”.

Palavras estrangeiras (à língua em que o artigo estiver escrito), variáveis, caracteres gregos, assim como títulos de livros, devem vir em itálico.

Títulos de livros, revistas ou nomes de obras literárias ou artísticas devem vir em itálico (exemplo: Crítica da razão prática; A Semântica Transcendental de Kant). No caso de títulos de seções ou capítulos de livros, as palavras principais do título devem vir com a letra inicial maiúscula (exemplo: Doutrina Transcendental do Método; Dialética Transcendental). Caso opte-se por utilizar abreviaturas, elas devem ser informadas na primeira nota de rodapé relevante.

As ilustrações (figuras, gráficos, tabelas etc.) estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.

A contribuição está digitada em formato A4. URLs para as referências foram informadas quando possível. Emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL).

 

Os artigos devem conter no máximo 12.000 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas. Devem apresentar sequencialmente: a) Título; b) Resumo (no máximo 150 palavras); c) Palavras-chave (3 a 6, separadas por ponto e vírgula); d) Corpo do texto; e) Referências. Os itens a), b) e c) devem vir na língua original em que o artigo é escrito acompanhados de uma versão em inglês. Os artigos originalmente escritos em inglês devem vir acompanhados de título, resumo e palavras-chave em uma das outras línguas aceitas para publicação.

Os ensaios não obedecem a tamanhos preestabelecidos. Tal gênero textual deve ser orientado segundo sua própria lógica de apresentação e escrita, aliando a liberdade do pensamento e a capacidade intelectual do(a) autor(a) em trabalhar ideias com alto nível de erudição.

Os estudos críticos devem conter no máximo 6.000 palavras e seguem as demais regras de apresentação dos artigos; devem discutir artigo ou tópico publicado na Kant e-Prints, há no máximo um ano; aceita-se, também, recensão de obra filosófica atual (nesse último caso, deve ser indicado no título a referência completa da obra).

As resenhas devem conter no máximo 3.000 palavras e ser de obras publicadas atualmente, preferencialmente até quatro anos decorridos da data de envio do texto resenhado; deve apresentar no início do texto a referência completa da obra analisada; não deve vir acompanhada de notas; caso haja referências, elas devem vir no final da colaboração.

As traduções devem ser de textos clássicos de Kant vertidos para a língua portuguesa ou espanhola, preferencialmente acompanhadas de uma apresentação ou de um estudo acerca do texto traduzido; também serão aceitas traduções de artigos ou textos de relevância para discussões pontuais acerca da filosofia kantiana, nesse caso devem vir acompanhadas de uma autorização datada e assinada pelo(a)(s) responsável(eis) pelos direitos autorais do texto traduzido, para o caso de uma eventual publicação (o editor verificará a pertinência filosófica da tradução, uma vez que a revista Kant e-Prints preza pelo ineditismo e originalidade da produção).

 

2. Referências

Todas as obras citadas no texto devem ser listadas em ordem alfabética no final do manuscrito, abaixo do título “Referências”, com espaçamento simples e um “enter” entre as obras referenciadas, obedecendo ao seguinte formato:

ALLISON, H. (1990) Kant’s Theory of Freedom. Cambridge: Cambridge University Press.

ALMEIDA, G. (1999) Crítica, Dedução e Facto da Razão. Analytica, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, pp. 57-84.

BURGE, T. (1977) Belief De Re. Journal of Philosophy, LXXIV, pp. 338-362.

KLEIN, J. (2012) Kant e a ideia de uma história universal nos limites da razão. Florianópolis: UFSC, 2012, 353 p. Tese (Doutorado em Filosofia) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

KRIPKE, S. (1980) Naming and Necessity. Cambridge, MA: Harvard University Press.

MADDY, P. (1984a) Mathematical epistemology: what is the question?. Monist, 67, pp. 46-55.

MADDY, P. (1984b) How the causal theorist follows a rule. Midwest Studies in Philosophy, 9, pp. 457-477.

YOURGRAU, P. (ed). (1990) Demonstratives. Oxford: Oxford University Press.

Detalhes de traduções, edições, reedições etc. devem ser mencionados.

Para obras reimpressas e ou/reeditadas, os detalhes a respeito da edição original devem ser informados, mas pode-se inserir apenas a paginação da edição reimpressa.

Livros contendo artigos devem ser citados separadamente.

Siga cuidadosamente as pontuações e seja o mais fiel possível com relação aos dados da publicação, que devem ser dispostos de modo completo.

 

3. Citações

Todas as citações indiretas devem seguir o sistema de referência autor-data (estilo Harvard).

  • Vide Longuenesse (1998)

Para mais detalhes, segue-se uma vírgula depois da data, como em:

  • Ver Lewis (1983, pp. 97-101)...
  • Como Carston (1988, pp. 161-2) argumentou...
  • A segunda definição de números de Frege (1884, §§ 62-64) falhou...

Citações longas, com mais de três linhas, devem ser exibidas separadas do texto com o espaço de uma linha antes e depois da citação e sem marcadores de citação antes e depois; devem ser digitadas em fonte tamanho 11, espaçamento simples e recuo à esquerda de 4cm. Citações curtas, com menos de três linhas, internas ao texto, devem ser colocadas entre aspas duplas. As referências da citação devem seguir o sistema autor-data-página e aparecer no final do texto citado (fora dos marcadores de citação), de acordo com o exemplo:

  • “...” (Guyer, 1987, pp. 279-81).
  • Como afirma Velkley, “...” (1989, p. 44).
  • No Prefácio à Fenomenologia do Espírito, Hegel (2011) diz que: “...” (p. 27).

Caso o sinal de pontuação que conclui a frase pertença à citação, ele deve vir dentro das aspas, como no seguinte exemplo:

  • “Por isso a moral também não é propriamente a doutrina sobre como nós nos fazemos felizes, mas sobre como nós devemos nos tornar dignos de felicidade.” (KpV, 5: 130)

Caso o sinal de pontuação que conclui a frase seja do(a) autor(a), ele deve vir depois das aspas, como no seguinte exemplo:

  • Nas palavras de Kant, a Crítica da Razão Pura é “um tratado acerca do método” (KrV, B XXII).

Para obras clássicas publicadas em edições críticas/acadêmicas, além do sistema de referência mencionado acima, pode-se empregar, em vez da data de publicação, uma abreviatura do título da obra, seguida de uma indicação do volume e da paginação da edição crítica/acadêmica da obra do(a) autor(a) em questão. Nesse caso, deve ser indicado na primeira nota de rodapé relevante as siglas e o padrão de citação utilizado.

Todas as obras de Kant devem ser referenciadas exclusivamente segundo a Edição da Academia (Akademie-Ausgabe). As referências à Edição da Academia devem ser dadas pela abreviação do título da obra, preparada pela Kant-Forschungsstelle der Johannes Gutenberg-Universität Mainz, disponível no sítio https://www.philosophie.fb05.uni-mainz.de, seguida pelo volume e o número de página da Edição da Academia, por exemplo: Prol, 4: 365; KU, 5: 378; OP, 21: 191 (sem a necessidade de qualquer prefixo tal como ‘AK’ ou ‘AA’). Para a Crítica da Razão Pura (KrV), é suficiente as convencionais “A” e “B” correspondentes à primeira e segunda edição da obra, seguida da paginação (por exemplo: KrV, A 68/B 93). Não é permitido o uso do sistema autor-data-página para as obras de Kant (por exemplo: Kant, 2011, p. 15), nem mesclar dois padrões de referência de acordo com a tradução/edição utilizada. Nesse sentido, por exemplo, ao invés de uma referência vir na forma ‘(GMS, 4: 393; Kant, 2011, p. 15)’, bastaria citar ‘(GMS, 4: 393)’. O devido reconhecimento à tradução/edição utilizada deve ser indicado nas 'Referências' e/ou em notas de rodapé.

As abreviaturas utilizadas para os títulos das obras de Kant e as traduções/edições usadas devem ser informadas na primeira nota de rodapé relevante.

Aspas duplas devem ser utilizadas para citações literais, para indicar um uso especial ou linguagem coloquial. Aspas simples devem ser utilizadas para citações não literais ou para expressões que estejam dentro de outra já mencionada em aspas duplas.

 

4. Notas

Notas de rodapé devem ser indicadas em algarismos arábicos, localizadas na margem inferior da mesma página onde ocorre a chamada numérica, em ordem crescente; as notas devem ser formatadas em fonte Times New Roman, tamanho 10, alinhamento justificado e espaçamento simples.

Nota de rodapé que contém a referência de uma citação deverão ser colocadas imediatamente após as aspas que encerram a citação. Nota de rodapé que não contém uma referência de citação devem vir no final da frase, após o sinal de pontuação de fechamento. Caso a nota de rodapé se refira apenas a uma única palavra ou parte de uma frase, a nota deve vir logo após a palavra relevante ou parte de uma frase.

Nota de agradecimento deve vir junto ao título do manuscrito, indicada por um ‘*’ (isto é, não numerada).

Em caso de dúvidas os(as) autores(as) devem seguir as regras que constam nas últimas edições publicadas ou entrar em contato com a Equipe editorial.

Última atualização: 15/09/2020

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.