Uma crítica semântica à interpretação de Allison para a validade objetiva na 'Crítica da razão pura'

Autores

  • Andréa Luisa Bucchile Faggion Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Juízo, Validade objetiva, Verdade transcendental, Verdade empírica, Metafísica

Resumo

Uma das teses mais fortes de Allison em seu livro Idealismo Transcendental: uma interpretação e defesa é a idéia de que o conceito de validade objetiva, na segunda edição da Crítica da Razão Pura, seja uma característica definidora dos juízos. No que se segue, argumento que tal interpretação não procede, uma vez que Allison não tem sucesso em explicar a aplicação do conceito a juízos metafísicos, bem como em justificar o alegado abandono, por parte de Kant, da teoria do juízo dos Prolegômenos, que exclui certos juízos empíricos da classe dos juízos objetivamente válidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-01-01

Como Citar

LUISA BUCCHILE FAGGION, A. Uma crítica semântica à interpretação de Allison para a validade objetiva na ’Crítica da razão pura’. Kant e-prints, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 3–12, 2007. Disponível em: https://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/kant-e-prints/article/view/333. Acesso em: 30 maio. 2023.

Edição

Seção

Artigos