Kant, Foucault e a antropologia pragmática

Autores

  • Diogo Sardinha Collège International de Philosophie, Paris

Palavras-chave:

Kant, Heidegger, Sartre, Foucault, Antropologia

Resumo

Neste texto analisamos a leitura que Foucault fez da antropologia kantiana no seu conjunto, isto é, para além da Antropologia de um ponto de vista pragmático (1798). As três teses foucaultianas mais importantes são, primeiro, a da fidelidade deste livro à obra crítica que o precedeu; segundo, a da necessidade de ler a Introdução da Lógica e o Opus postumum para penetrar aspetos essenciais da antropologia de Kant; terceiro, a da importância de retomar um certo gesto crítico (que Foucault identifica com Nietzsche), para desmistificar as pretensões do discurso antropológico pós-kantiano. Neste percurso, torna-se nítido o modo como Foucault se distingue tanto de Heidegger quanto de Sartre: se se opõe a este por via do anti-humanismo teórico, também se diferencia de Heidegger pela forma como se serve do Opus postumum, que Heidegger praticamente ignorou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-01-01

Como Citar

SARDINHA, D. Kant, Foucault e a antropologia pragmática. Kant e-Prints, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 43–58, 2012. Disponível em: https://www.cle.unicamp.br/eprints/index.php/kant-e-prints/article/view/418. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos